“ONDE TUDO COMEÇOU”: “Desde pequeno sempre acompanhei meu pai nos jogos”

Ex-pivo e Ala direita, o homenageado desta sexta-feira do “Onde tudo começou” é Humberto Guedes Nastari (Sabatino), 62 anos, natural de São Paulo, capital, é dono de uma empresa de licenciamento de marcas e atua como diretor de uma empresa de jardins verticais e paisagismo, confira:

INÍCIO
Sabatino nos contou um pouco do seu início de carreira no futebol da bola pesada, atuando tanto como Pivô, quanto como Ala.

“Desde pequeno acompanhei meu pai, Sabatino Nastari, jogando futebol de salão. Meu pai atuou por clubes muito importantes do futsal paulista, Palmeiras, Banespa, Ypiranga, Seleção Paulista. Minha formação veio atravez de um pequeno time, chamado Esporte Clube Vila Mariana, grande formador de jogadores de futebol de salão, como o Mario Sergio, Toni, Padula, Miral, Serjão e Senise”, contou Sabatino.

 

TÍTULOS
(2x) Campeão Paulista
(1x) Campeão Estadual
(2x) Vice – Campeão Estadual

TIMES
– E.C Banespa
– C.A Indiano
– A.A Banco do Brasil

Extra oficialmente, Sabatino defendeu mais alguns clubes como: Cosmos, Canovas, Umuarama , Colegio Jardim São Paulo, Aquático do Bosque e E.C Vila Mariana.

FORA DAS QUADRAS
O Ex-pivo, assim como muitos outros atletas do futsal, dividiam a vida do esporte com outros empregos e com os estudos.

“Desde juvenil sempre trabalhei com moda, montei minha empresa e parei cedo, por causa da minha empresa, parei com 25 anos de idade”, contou o ex-atleta.

PERSPECTIVA NO ESPORTE
“Muitos adeptos levam o futsal com um lazer, talvez, uma alternativa seria a volta dos grandes times para os Campeonatos de Futsal, Inter, Palmeiras, Vasco, Flamengo, Cruzeiro, entre outros”.

HISTÓRIAS
“Uma curiosidade na minha carreira, é ter sido campeão com dois jogadores no principal do Banespa, o Henrique e o Empada, que foram campeões paulistas com meu pai no CAY, meu pai terminado a carreira e eles começando, depois já maduros e grandes jogadores fomos campeões paulista e estadual principal no Banespa, eu estava na transição do juvenil para o principal.

“Uma situação engraçada, foi quando eu fui jogar pelo Banespa principal, no meu primeiro ano, em Londrina, reinauguração do Ginásio, o Sr. Renato Toni me pediu para eu me passar pelo Amarildo, fantástico jogador, que não foi nesta viagem, ele era a estrela do nosso time, ele nessa época tinha sido convocado para Seleção Olímpica de futebol de campo”
“Com o Amarildo recebiamos um cache maior , sem ele menor , como nessa epoca não tinhamos internet nem redes sociais, fui como amarildo, graças a Deus me dei bem, fiz 3 gols e deixei o nome dele em alto nivel, quase que na entrevista para uma TV local, fui desmascarado, me perguntaram sobre o Pinga, pai dele, eu não sabia quem era o pinga, dei um pique de aquecimento até o Sr. Renato e perguntei para ele, voltei e respondi para o tal repórter, ficou tudo bem”, Continuou Sabatino
“Além disso conheci uma menina em São Paulo, mas ela morava em londrina, que me reconheceu como Amarildo, foi duro provar que eu não era o Amarildo, pior que o Amarildo era feinho”, finalizou o ex-pivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *