ONDE TUDO COMEÇOU”: “Encontrei anos depois em uma viagem o árbitro que me expulsou em uma partida pelo campeonato estadual”

Ex- goleiro, o homenageado desta sexta-feira do “Onde tudo começou” é Roberto Roth, 86 anos, que durante os anos de 1979 a 1982 foi Secretário de Esportes Municipal e hoje está aposentado, foi um dos primeiros atletas a vestir a camisa da Seleção Paulista.

INÍCIO

O ex-goleiro é um dos atletas mais antigos do futsal paulista, atuou em algumas equipes na década de 50 e 60, as principais foram, Clube Atlético São Paulo, Clube Universitário, Banespa, Seleção Paulista e Seleção Universitária Paulista, dentre outras.

FORA DAS QUADRAS

O Ex-goleiro, assim como muitos outros atletas do futsal, dividiam a vida do esporte com outros empregos.

HISTÓRIAS

O ex-atleta nos contou algumas histórias curiosas que teve ao longo dos anos que atuou no futebol da bola pesada.

“Em 1958 pelo Campeonato Paulista, fomos jogar contra o Clube Esportivo da Penha, estávamos de carro eu dirigindo e mais quatro companheiros da equipe. Fomos fechados por um outro veículo e os amigos do banco traseiro ofenderam os ocupantes do outro veículo. Todo mundo saiu dos carros e o caldo engrossou eu estava com a camisa de goleiro e o agasalho de universitário de repente tudo se acalma, pois os rapazes do outro veículo eram os jogadores do E.C Penha indo para o mesmo jogo no ginásio da Penha, foi um alívio”, contou Roberto.

No ano de 1961, Roberto Roth nos contou que precisava viajar para o Rio de Janeiro, para uma partida válida pelo Campeonato Brasileiro.

“Eu estava morando em Santo Amaro e cheguei atrasado na rodoviária, perdendo o ônibus da Delegação Paulista. Duas horas depois acabei embarcando no primeiro ônibus para o Rio de janeiro, desembarcando lá, não sabia qual era a localização da concentração, aí peguei um táxi, pedindo para me levar a sede onde estavam os outros atletas da delegação paulista e, contei a minha história ao motorista do táxi. Foi uma loucura, esse mesmo motorista a meia hora antes tinha levado a delegação paulista, porque os ônibus tinham sofrido pane, tendo que ser substituído por táxis. Cheguei lá a turma estava preenchendo as fichas”, contou Roberto sobre a sorte que teve em encontrar o taxista certo no momento exato.

“Em 1961 pelo Campeonato Estadual, em São José dos Campos jogamos contra o São José, fui substituído por lesão, já no banco de reservas questionei a arbitragem, sendo então expulso injustamente pelo árbitro Sr. José. Entrei em quadra para tirar satisfação, criando a maior confusão, ofendendo árbitro de maneira agressiva, isso tudo comentado na rádio localna época”, contou o ex-goleiro.

No ano de 1963 pela equipe Universitária aconteceu um fato curioso com o ex-goleiro. “Viajando de Araraquara para São Paulo, para jogar pelo universitário, sentou-se ao meu lado uma pessoa vagamente conhecida e me encarou sorridente, nada mais nada menos do que o Sr. José que me expulsou de um jogo em São José dos Campos em 1961. A viagem foi tranquila, pois mesmo tendo acontecido o fato há alguns anos antes, no esporte fazemos amigos, ambos continuávamos ativos e talvez participaríamos de uma nova partida”, contou Roberto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *